segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Ainda sinto-me uma mãe especial


Hoje lendo uns blogs que desconhecia nos quais entrei através de uma moça que começou a seguir o bloguito aqui. Me deparei com blogs de mães e pais que possuem filhos portadores de necessidades especiais e que escrevem seus posts com intuito de colocar para fora todo aquele emaranhado de sentimentos que nós pais sentimos e conhecemos. Nossos medos, angustias, tristezas, alegrias, decepções com as pessoas que encontramos em nosso caminho, o encorajamento de nós mesmos em deitar as vezes um pouco cabis-baixo e levantar com o ânimo renovado. Mas é bem assim, e só quem é pai e mãe destas crianças maravilhosamente especiais, pode entender e avaliar o que estou escrevendo.
E por incrivel que pareça, tudo acaba se encaixando e dando certo. E acredito eu, é com certeza a mão de Deus que nos acolhe e nos dá a força que temos e que necessitamos. Eu , sempre fui muito up, tanto como meu marido e filha mais velha e isso foi maravilhoso enquanto convivemos com nossa pequena, aqui na terra. Nunca nos lamentamos e nem queríamos que os outros o fizessem, sempre tentamos todos os caminhos possíveis para chegar a resultados excelentes e conseguiamos. Tinhamos pensamentos positivos e cheios e atitudes cheias de amor em relação a situação que estavamos vivendo, embora soubessemos que aquela situação não era provisória e sim definitiva, mas por esta razão mesmo, é que deveriamos mudar muitos de nossos conceitos e atitudes que antes de tê-la como filha, talvez tivessemos diferentes e que ao mudarmos nos adaptamos sem nunca termos revolta nem autopiedade.
Mas tudo isso que escrevi até agora, foi para dizer que ainda não consegui nem gostaria de fazê-lo, que é me desligar da questão de termos tido uma filha PNE e que apesar de não estarmos mais convivendo neste plano eu continuo ainda me interessando muito por todas as novidades da medicina, educação e todas as demais áreas que trabalham com os PNE.
Me interesso pelos pais e seus sentimentos porque apesar de não tê-la mais conosco, nos sentimos ainda, "pais especiais", não podemos e nem queremos renegar esta condição que nos mostrou o outro lado da vida e nos deu bagagem e nos ensinou a grande lição de vida, de amor incondicional e de solidadriedade humana que foi tê-la tido como filha.
Amo demais todas estas crianças e as respeito com toda a intensidade que ser mãe de uma delas me oportunizou aprender. Este post é minha homenagem a minha filha Midian,que apezar de ter partido, continuo amando cada vez mais intensamente, mas com serenidade, mesmo não estando junto dela fisicamente.

Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol. Ambos existem, cada um como é.

Fernando Pessoa

6 comentários:

Felipe disse...

Ziza,eu li esse post e simplesmente não sei direito o que falar,muitas pessoas ditas "perfeitas" vivem reclamando de tudo e de todos,essas pessoas não sabem o verdadeiro sentido da vida,e infelizmente só percebem isso quando perdem ou ficam em alguma situação dificil.

zizablog disse...

Infelizmente Felipe, é bem assim, existem pessoas que só valorizam a vida qdo levam um grande tranco e te digo q as vezes nem este resolve. Continuam a reclamar. Mas a maioria valoriza, sim!

Eliane disse...

Parabéns minha querida amiga por toda essa maneira especial de ver as coisas, não passei pela tua experiência, mas já trabalhei no Brasil com crianças especiais e trabalho com elas aqui no Canadá, e aqui como no Brasil, infelizmente tem gente que não sabe valorizar os bons momentos e as coisas que a vida nos dá. Adoro você.
Bjkas, Eliane

zizablog disse...

Te digo d coração, foi a melhor fase de nossas vidas, foi uma lição de amor p toda a família, gostaria de tê-la conosco nos ensinando cada vez mais, mas...seria egoísmo nosso.
Obrigado também te gosto muito, mesmo sem conhece-la pessoalmente, mas isso é apenas um detalhe, né? Bjkas...

Marilena disse...

Olá Ziza,

virei fã do seu blog e da maneira positiva como vc encara a vida. Eu nunca passei pela sua experiencia mas imagino como foi dificil, principalmente pelos preconceitos que as pessoas têm. Eu imagino que vc vá ser uma "mãe especial" para sempre e sempre vai conseguir entender as outras mães que passam pela mesma situaçao.
um beijo

zizablog disse...

È Marilena os pré-conceitos são de todos os modos imagináveis,eu ficava sim bastante tocada c as atitudes das pessoas, mas o amor supera tudo. Beijus e boa semana p vocês e continue escrevendo desta maneira cativante q vc tem!