domingo, 28 de março de 2010

Longe ou perto, continuamos a te amar.

"Fui escolhida por Deus para uma grande missão. Enquanto tantas crianças brincam de montar castelos, eu tentaria sedimentar a base emocional da minha família, diante de tal situação,Deus me falou que serei um pouco diferente das outras crianças, mas nem por isso vou deixar de ser uma delas. Talvez minha estadia seja por um período não tão grande, mas todo tempo será precioso, para Deus, para mim e para todos aqueles que me conheceram."

"Crianças são como borboletas ao vento... algumas voam rápido... algumas voam pausadamente, mas todas voam do seu melhor jeito, porque cada uma é diferente, cada uma é linda e cada uma é especial !"




Eu não sou de escrever post melancólicos, nem que traga a tona meus sentimentos tristes ou depressivos. Mas como amanhã, dia 29 de março minha filha Midian, faria, se estivesse aqui conosco doze aninhos, eu decidi fazer uma homenagem a ela e com isso ressaltar aqui, um pouco da saudades que sentimos dela, da sua importancia em nossas vidas, do amor que temos por ela, apesar de estarmos em planos diferentes, do carinho, da falta física, enfim de tudo aquilo que sentimos por não convivermos mais com sua presença entre nós. Mas que embora estejamos separadas, continuamos  a lembrar e reviver tudo o que era importante para ela, sem nunca tê-la tirado do cotidiano de nossas vidas.
Não quero fazer deste post, nada pesado a quem lê, mas sincero, puro e verdadeiro como nosso amor de família que lembra bons momentos e procura nestes o consolo da separação.
Sim, vou fazer deste post,  música e poesia, como ela realmente gostava. Pois a música era primordial em sua vida.  Em todas as atividades nas quais ela participava, havia uma cantoria para embalar seus sonhos infantis. E esta, era senão a sua preferida, uma das mais cantadas por nós para alegrar sua vida.


O Pato



Vinicius de Moraes




Lá vem o Pato



Pata aqui, pata acolá


Lá vem o Pato


Para ver o que é que há...(2x)






O Pato pateta


Pintou o caneco


Surrou a galinha


Bateu no marreco


Pulou do poleiro


No pé do cavalo


Levou um coice


Criou um galo...






Comeu um pedaço


De genipapo


Ficou engasgado


Com dor no papo


Caiu no poço


Quebrou a tigela


Tantas fez o moço


Que foi prá panela...






Caiu no poço


Quebrou a tigela


Tantas fez o moço


Que foi prá panela...




Quá! Quá! Quá! Quá Quá!


Quá! Quá! Quá! Quá Quá!


Quá! Quá! Quá! Quá Quá!



Filha, hoje és poesia e inspiração em minha vida!

2 comentários:

Felipe disse...

Olá Ziza,muito obrigado pelo comentário no blog,e realmente o conteúdo é mais importante que a aparência. Por enquanto não tenho o dom pra deixar o blog todo bonito não,eu pesquisei em um site - http://www.dicasparablogs.com.br/2010/03/mudar-template-do-blog-designer-do.html

Sobre o post de hoje: Parabéns para sua filhinha Ziza,que mesmo não estando fisicamente conosco sei que está presente em cada pensamento e atitude boa que realiza.
Abraços e muita felicidade para você e sua família.

Eliane disse...

Que olho mais lindo dessa tua pequeruxa. Ela só teve uma certeza no pequeno tempo que esteve com vocês.
Foi muito amada!
Bjos minha amiga.
Eliane